sexta-feira, 31 de agosto de 2012

Vic, o torino

Em uma alusão ao belíssimo carro Ford Torino, que bombou nos EUA no final dos anos 60, venho falar do nosso vizinho do 1003, Victorino (leia-se Vitorino, sem o "c"), cuja disposição pode deixar mesmo um automóvel no chinelo.

"Não nasci para estar parado."

Victorino, apto 1003

Victorino trabalhou com jóias por quase 10 anos e aos 23 começou sua longa jornada aqui no Cás do Porto, onde trabalhou duro como contra-mestre de mecânica durante 30 anos. Física e psicologicamente, trabalho este realmente duro. Victorino diz que presenciou muitos acidentes –dentre eles, alguns letaisno gigantesco e perigoso maquinário que ele tinha de lidar diariamente.
Após a aposentadoria, Victorino se viu livre de todo stress que o  cercava no Cás do Porto e passou a dedicar seu tempo ao artesanato. Ele tem ponto certo na Feira da Glória, todo domingo de manhã, perto do relógio da Glória.

Victorino e suas caixas artesanais.

Durante nossa conversa, a cada vez mais, mais eu me encantava com a esperteza e criatividade dele. Certa hora, tive que perguntar: "Puxa vida, seu Victorino! O que você não sabe fazer?" A resposta veio na ponta da língua: "pilotar avião".
caixas organizadoras, por Victorino.
As idéias para seus trabalhos artesanais podem partir de um simples fecho de uma jaqueta. Auto didata e curioso de carteirinha, Victorino contou-me que desenvolveu seus trabalhos a partir da tentativa e erro. Hoje, com a ajuda da amada Teresinha, com quem vive por 42 anos, ocupa praticamente todo o tempo com as encomendas que ele mal da conta de fazer.

Tendo nosso panfleto de divulgação do projeto Conheça o Seu Vizinho em mãos, após ler a pergunta "Qual o seu super poder?", sorrindo, ele respondeu orgulhosamente: "O meu poder de velho é que eu nado 35 segundos sem respirar!" Dá-lhe Victorino! Pois eu nem nadar sei... (risos)
Ele pratica natação e falou que foi o próprio professor que cronometrou seu tempo.
Aliás, esporte é algo que sempre se fez presente na vida desse senhor de (quem conhece não acredita) 82 anos. Futebol, vôlei, basquete, remo e até mesmo capoeira estão na lista de esportes que Victorino já praticou.

Sai da frente, que o Torino está presente!

| por: Aline Campbell |

quinta-feira, 30 de agosto de 2012

arco íris

 Hoje à tarde os apartamentos com vista para os Arcos foram privilegiados com este incrível arco íris duplo(!)
Lindo, não?! 
Pois bem... que tal irmos, juntos, atrás do pote de ouro?

| por: Aline Campbell |

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Família Mamão Papaya


Logo que conheci Érica na portaria, senti uma vibração muito boa, conversamos sobre o projeto do prédio: Conheça o seu Vizinho, e automaticamente, ela super interessada me convidou para conhecer seu lar, o 809.

Chegando lá, Débora e ela, me recebem muito bem, conversamos muito.
E as duas vão me contando a história daquele apartamento. 
Um apartamento vivo onde muitas coisas acontecem: rodas de conversa, exibições de filmes e reuniões culturais da galera do cinema e das artes que já está aqui no prédio a 4 anos.
É tão legal descobrir que uma galera como a Família Mamão Papaya mora no seu prédio.

Érica e Débora do 809
Uma galera artivista de verdade, que transforma a partir da arte. Um coletivo artístico que começou a partir do cinema e que infelizmente são seus últimos dois meses no Novo Centro Lapa, pois o apartamento é alugado, e o dono está prestes a vende-lo.
Só para explicar, Família Mamão Papaya é o nome que o coletivo recebeu dos mais íntimos.
No momento moram: Débora, Érica eLuana; que são jornalistas e Jonatan que é biólogo. 
Mas, Lígia, que é engenheira, também fazia parte da família até o mês passado, quando se mudou.
Eles são amigos de infância, que cresceram e se criaram em Bangu, filhos da Vila Kenedy, mudaram-se para a Lapa pois morar lá e demorar duas horas para chegar todo dia na faculdade, ninguém merece.
Família Mamão Papaya, só no sorriso
Érika me revela que seu maior medo de adolescente, por morar na periferia, era ter que trabalhar no Mac Donald's. Ela tinha pesadelos a noite quando pensava nisso. Mas graças a deus, isso não aconteceu! Com 16 anos ela teve a sorte de conseguir seu primeiro emprego no Jornal do Brasil e a
oportunidade de abrir a cabeça para o mundo, coisa que nem todo jovem de periferia tem a possibilidade de experienciar em sua vida.
Hoje, formada e muito convicta de que, se tivesse a oportunidade, adoraria dedicar sua vida a cultura.
Deixo aqui o contato das meninas:


Ahhh, a Família Mamão Papaya tem até filme sobre eles, que uns amigos produziram
Aqui está o teaser:
video




Sofá artístico da galera!







































| por: Gabriele Valente Feliz |
                  :)   

domingo, 19 de agosto de 2012

Jacira, a artesã


Jacira, apto 1205
Made in Recife, mas carioca de coração, Jacira que mora no Rio já há 30 anos, também nos cedeu um tempinho no sábado. Recebeu-nos em seu apartamento e em meio a conversas e descobertas, mostrou-nos seus incríveis trabalhos artesanais. Ela é socióloga de formação mas encantou-se pelo mundo da Moda logo cedo, e por 15 anos se dedicou ao meio.  Mais tarde, viu a necessidade de abrir um negócio seu e começou a trabalhar por conta própria. Os anos na Moda lhe proporcionaram enorme conhecimento de tecido e acabamento, fazendo dela hoje uma artesã de mãos cheias. Há 10 anos Jacira tem ponto certo na Feira do Lavradio, todo primeiro sábado do mês. Seus trabalhos são exclusivos e interessantíssimos, além de belos. Em meio aos vários trabalhos artesanais que ela sabe fazer, hoje Jacira foca em abajures e luminárias feitas a partir de material que ela mesma recicla, num mix de pétalas de rosa, casca de abacaxi, cascas de alho e outros. Ela mora no Novo Centro há 5 verões e divide o apartamento com o filho, Thadeu, de 20 anos de idade.

Abajures de material reciclado e renda, confeccionados pela Jacira, do 1205

Arranjos florais. Bom gosto de Jacira.
| por: Aline Campbell |

sábado, 18 de agosto de 2012

Vera, do 1006

Vera Lúcia, apto 1006
Eu e Márcia estivemos hoje no 10º andar conversando com a Vera Lúcia, que mora no Novo Centro desde antes mesmo de eu existir, desde 87! Ela acredita em nossos potenciais e está apostando no projeto. Vera, que foi professora pedagoga por muitos anos, e também exímia pianista, hoje é aposentada e gosta de passar o tempo em casa. Você precisa ver que delicadezas artesanais que ela sabe fazer! Sachês de sabonete perfumados para colocar em gavetas e guarda-roupas. São super bem feitinhos e delicados, com tamanho aproximado de 3cm. Vera faz por diversão e diz ser uma terapia elaborá-los. São três modelos diferentes, de variadas cores, que ela vende pela pechincha de 2, 3 e 5 reais apenas! Então está esperando o quê? Pega logo o interfone e peça um!
...um para cada gaveta! :-)

pequeninos sachês de sabonete perfumado, confeccionados pela Vera Lúcia, do  apto 1006
| por: Aline Campbell |

Fica, Alex!

Paralelamente ao projeto "conheça o seu vizinho", seguimos com a campanha:

Você conhece o seu porteiro?

..E a primeira vítima (risos) foi nosso mais novo porteiro da tarde, que ainda está em período de experiência: Alex.
Alex, que é apaixonado por esportes e música, divide seu tempo entre o Novo Centro, seu grupo de forró moderno e a luta muay thai. Ele viveu por 14 anos na Paraíba, mas é carioca da gema. Nasceu no Rio e há 8 anos voltou para cá. Olha que curioso: além de porteiro, Alex também é nosso vizinho. Ele e o pai moram em um conjunto de casas pertencente à Ordem do Carmo, logo em frente ao prédio. Lá, ele também toma conta e faz a segurança do local, que já foi alvo de tentativa de invasão por moradores de rua. 
Alex já teve várias profissões ao longo dos seus 27 anos. Dentre elas, a de padeiro (confessou-me ainda saber receitas deliciosas hmm), mas sua grande paixão mesmo é a música. Como mencionei anteriormente, ele tem um grupo de forró, onde é vocalista. O cd do grupo, com músicas próprias, irá sair logo logo. Também, eles estão com show marcado para o mês que vem, na Barra da Tijuca. Para maiores informações, basca perguntar diretamente ao próprio.
Uma dica: Alex também é um quebra-galho de primeira! Precisando de serviços de carpintaria e elétrica, só chamar! Com o Alex não tem tempo ruim. Tendo um tempinho livre ele estará pronto para ajudar.

Alex, o porteiro da tarde!
| por: Aline Campbell |

domingo, 12 de agosto de 2012

Todo 2º sábado tem...

...feirinha na Rua do Mercado

Na Praça XV também tem feira. Todo segundo sábado do mês, a Rua do Mercado e adjacências se enchem com barraquinhas e os bares e restaurantes abrem suas portas, oferecendo música ao vivo, além de boas e típicas refeições. A feira acontece a partir das 10 da manhã e vai até o Sol se pôr. A dica que eu dou, é chegar antes das 13h, para ainda dar uma passadinha no 'Mercado das Pulgas', que é a feira de antiguidades que acontece todo sábado pela manhã, em frente a estação das barcas.
 
Marcia Kato, do 1301 (dir) e Vania Salles, amiga com quem divide a barraca.
| por: Aline Campbell |

sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Conhecendo

Ontem, quinta-feira (09/08), eu (Aline) e Gabriele estivemos na portaria com o objetivo de conhecer alguns moradores.
Colhemos frutos. 
          Alguns maduros, deliciosos. 
                       Outros, nem tanto... 
Estes meio verdes, porém, somente precisam de um pouco mais de nutrição que o tempo fará dele também um fruto excelente. 

Falamos rapidinho com o Renato, do 1107, que super apoiou o projeto se dispôs à, mais tarde, conversar melhor com a gente.
Ele mora no Novo Centro há 5 anos e trabalha com transporte internacional de carga. Também, olha que interessante, ele faz acessoria para retirada de visto estrangeiro. Eu inclusive, que logo logo vou tentar tirar o Americano, já sei a quem recorrer :-)

Conversamos também com o Julio, do 902
Ele, orgulhoso por ter servido o Exército Brasileiro, é uma pessoa incrível e conversou com a gente de coração aberto. Perguntamos há quanto tempo mora no prédio e ele respondeu sorrindo: "há tempo suficiente". Julio lamenta a perda da visão somente pelo fato de não ter podido continuar na sua profissão, que segundo ele, estaria exercendo até hoje. Porém, mesmo sem a visão, Julio afirma que enxerga muito mais do que muita gente por aí. Não duvido. Ele acredita na bondade das pessoas, além do material. Sua percepção é baseada em sentimentos, nos movimentos dos sons. Eu brinquei com ele, dizendo que ele na verdade é um filósofo e não sabe. Boas histórias, bons ensinamentos, boa alma. Julio, do 902.

"Só não me conhece quem não quiser"
...fica o convite.

Renato (1107), Aline (1105) e Julio (902)
| por: Aline Campbell |

quarta-feira, 8 de agosto de 2012

de 160, quantos?

Abro este post com a pergunta:

De 160 apartamentos, quantos moradores você conhece?


Antes de mudar-me para o Novo Centro, eu morava em casa, numa vila onde todos se conheciam. Animei-me com a idéia de morar em prédio. Afinal, na vila erámos em torno de 20 casas apenas. No entanto, morando aqui, não tardou muito para eu perceber que mesmo estando juntos num mesmo edifício, união não é uma palavra que se faz presente. Moro aqui há 5 anos e o número de pessoas do prédio que eu conheço dá para contar nas mãos. Acredito não ser muito diferente com os outros moradores também. Inclusive entre aqueles que vivem aqui há mais de 10 anos... eu aposto minhas garrafas pet que mesmo estes não conhecem 1/3 dos condôminos! A questão é: somos mais de 160 cabeças pensantes, cheias de idéias e potencial. Por que não nos unirmos para fazer acontecer?! Existe muito, mas muuuuito, talento inexplorado aqui. 

Olha que legal se começarmos a nos reunir, criar pequenos grupos e fazer acontecer...
Serei mais clara...
Por exemplo, eu trabalho com artes. Poderia estar realizando uma oficina, aqui em casa mesmo, com meia dúzia de condôminos por vez. Interessaria? Você não gastaria nem dinheiro com passagem ou gasolina...
...E aquela sua receita de bolo de cenoura que deixa todos desejando sempre mais uma fatia? Por que não convidar um outro e compartilhar? Você poderia sugerir dos 'alunos' levar os ingredientes... 
...E você, músico, que tal umas aulinhas para interessados? Devem ter muitos fazendo aula fora e talvez estes mesmos se interessem em fazer aulas no próprio prédio. Olha que prático!
Estou falando de oficinas gratuitas, ou mesmo pagas. Por que não? 


A idéia é explorarmos nossos potencias. 
Fazer acontecer aqui, perto da gente.
Estou falando de praticidade. Estou falando de amabilidade.

...E então? Vamos? :-) 

| por: Aline Campbell |

Aline do 1105


Olá a todos! Alguns já me conhecem do "1105 de Portas Abertas", que foi uma exposição de "string art" que organizei aqui no meu apartamento em abril deste ano.
Em uma breve apresentação:
Meu nome é Aline Campbell, tenho 23 anos e sou artísta plástica.

Adoro conhecer e estar com pessoas.
Adoro compartilhar.
Tenho uma visão artística das coisas. Gosto de transformar. Gosto de criar.
Sinta-se a vontade para um bate-papo ou mesmo curioso em conhecer meu trabalho...  
1105 é o meu apartamento.

Vamos fazer juntos!

segunda-feira, 6 de agosto de 2012

Parceria com Anbraz159


Adriano, Karina e Junior
Hoje demos um passo muito importante no nosso projeto: fechamos a primeira parceria. A copiadora e gráfica Anbraz159 irá imprimir nossos folhetos de divulgação que serão utilizados na primeira fase do projeto.
Estivemos na loja hoje à tarde e fomos muito bem recebidas pelo atencioso e carismático gerente Bruno Fernandes e sua equipe, que nos receberam de braços abertos. Contamos inclusive com uma presença ilustre: o palhaço Bozo - com o qual também demos boas risadas. Foi um barato!

Gabriele e Aline com o pessoal da Anbraz159 - Bruno, Junior, Karina e Adriano




  

Rua Riachuelo, 159
Tel.: 2509-2370 / 2232-7587
e-mail - contato@anbraz159.com.br
site - www.anbraz159.com.br


| por: Aline Campbell e Gabriele Valente |

sexta-feira, 3 de agosto de 2012

Quem FAZ !!!

"Parece más urgente inventar 
relaciones posibles con los vecinos, 
en el presente, que esperar días mejores. 
Eso es todo, pero ya es muchísimo."

 Estética Relacional, Nicolas Bourriaud, 2008, p. 54


Gabriele Valente, brasileira de Porto Alegre, Pós-graduada em Corpo, diferenças e educação, pela Faculdade Angel Vianna, Rio de Janeiro, empreendedora social, animadora de redes, facilitadora de processos educacionais transformadores através de ferramentas lúdicas e cooperativas, como danças circulares, jogos cooperativos, arte e reciclagem, Art of Hosting e metodologia Oásis.  

Ao longo dos últimos 7 anos Gabriele vem buscando seu mestre interior através de diversas experiências significativas, como: viver entre diferentes países da Europa e  América do Norte, muitas aulas de técnicas corporais de auto-conhecimento, trabalhar com o projeto Vídeo-ambiental, viver o Guerreiros sem Armas 2012, entre outras. A partir dessas experiências, ela reuniu diversas perspectivas sobre estilos de vida e educação alternativos e holísticos, bem como uma grande rede de contatos de pessoas ao redor do mundo. Por isso, seu trabalho atual busca integrar seus conhecimentos com suas experiências de vida, para empoderar pessoas, despertando-as para a possibilidade de descobrirem a sua própria luz e força interior. Fazendo-as olhar para o mundo com os olhos da abundância e enxergar os recursos e beleza que já estão disponíveis a sua volta.
Sempre lembrando:
Reciclar é preciso, reinventar-se é necessário.

Aline Campbell, brasileira do Rio de Janeiro que logo, logo vem se apresentar!!!

| por: Gabriele Valente Feliz |
                  :)

Contatos:
valentefeliz@gmail.com
http://www.facebook.com/gabivalente24

CONHEÇA O SEU VIZINHO

Com este projeto pretendemos explorar o potencial individual dos condôminos -potenciais estes, muitas vezes invisíveis- a fim de trabalhar em conjunto para desenvolver projetos em três eixos:

-sócio-ecônomico;
-sócio-ambiental;
-sócio-cultural.


Pretendemos valorizar os talentos e recursos já existentes no condomínio Novo Centro com o intuito de materializar nossas idéias, projetos e sonhos coletivos.

Para isso, não estamos interessados nos problemas, mas sim nos nossos SUPER PODERES, ou seja, aquilo que nos motiva e nos move.
Qual o seu super poder? O que você gosta de fazer?

exemplos:
culinária - serviços gerais - artesanato - música - jardinagem - pintura - marcenaria - desenho - idiomas - crochê - turismo - costura - reciclagem - etc, etc, etc...

Ajude-nos a colocar o projeto em prática:


- Fase 01 - coletar dados e moblizar o prédio.

Faça parte!

| por: Aline Campbell e Gabriele Valente |